domingo, 14 de fevereiro de 2010

Jabuticabeira-caipirinha, campeã dos Bonsais

Tida como forma botânica ou espécie próxima a Myrciaria jaboticaba, a variedade da foto ao lado caracteriza-se por ostentar copa muito densa, baixa e ampla, além das folhas e frutos de tamanho diminuto.

Durante expedições patrocinadas pelo Instituto Plantarum (http://www.plantarum.org.br/), tivemos a oportunidade de estudar diversas populações silvestres de jabuticabeiras. Dentro deste contexto, muito nos impressionou a região centro-leste de Minas Gerais, que engloba as nascentes dos Rios Doce, Jequitinhonha e Mucuri. A área é bastante ampla e inclui ambientes de Mata Atlântica e Cerrado, além naturalmente de zonas de transição.
A explosão de biodiversidade atinge seu ápice nos arredores da cidade de Diamantina, onde pelo menos cinco formas ou espécies das pretinhas disputam espaço nos campos e quintais. Fato, aliás, já registrado desde o século XIX por ninguém menos que o famoso botânico-viajante Auguste de Saint-Hilaire (vide posts dos dias 21/09/2008 e 18/01/2009). Em sua obra sobre as plantas úteis de nossa flora (Saint-Hilaire, A. 1828. Plantes usuelles des brasiliens. Paris, Liv. Grimbert. 340 p.), o emérito francês já destacava: "As jabuticabeiras, transportadas das florestas para os jardins de São Paulo e de Tejuco [atual Diamantina], lá produzem frutos deliciosos (...)".
De acordo com nossas observações, a forma carinhosamente apelidada de "caipirinha" pelos diamantinos é a mais frequente na área. Ela apresenta uma altura de aproximadamente dois metros, versus um diâmetro de copa muito maior, que pode atingir até seis a oito metros. Isto ocorre porque a planta é muito ramificada desde a base, formando um emaranhado de troncos múltiplos, que posteriormente enchem-se de frutos. Os últimos são negros, de casca lisa e brilhante, esféricos e medindo apenas 1,0-1,5 cm de diâmetro; o sabor é doce e muito agradável, tal qual a jabuticaba-sabará (Myrciaria jaboticaba).
Em estado nativo, cresce sobre morros, em área de transição entre Mata Atlântica e Cerrado. Já a observamos em Cerrado (crescendo ao lado de Plinia nana, a jabuticabeira-anã-do-cerrado) e na Floresta Atlântica Semidecídua (em companhia de uma espécie não descrita pela ciência, a jabuticaba-peluda-do-jequitinhonha).
Mas alguns atributos tornam a caipirinha perfeita para bonsaísmo. Suas folhas são mínimas, medindo em uma planta adulta apenas 1,0-1,5 cm de comprimento x 0,8-1,0 cm de largura. Seus frutos também diminutos, além da forma bizarra da árvore, tornam-na indiscutivelmente a mais apropriada para a arte criada pelos japoneses. Muitos adeptos procuram o e-jardim para fornecimento de mudas desta obra-prima da Flora Brasileira:

http://www.e-jardim.com/produto_completo.asp?IDProduto=335]

6 comentários:

magiaorion disse...

Bom dia,
Estou me cadastrando nesse ótimo Blog a partir de hoje para aprender com outros blogueiros,um pouco dessa arte de plantas em vasos.Gosto muito de plantas frutiferas silvestres e por isso estou aqui.Gabirobas Araçás,Amoras,Uvaias,Mirtilos,Pitayas,Jabuticabas,Pitangas,Cerejas,Cajás, etc. Todas essas plantas eu adquiri nesses 8 meses de aprendizado e espero compartilhar informaçoes para aprender a cuidar dessas plantas maravilhas. Abraço,

Anônimo disse...

Bom dia,
Achei muito interessante essa jabuticaba caipirinha . Como a foto foi tirada de cima,ela por sí só fica parecendo uma floresta com essa copa tao bonita.Vou ficar de olho nas novas postagens.

Eduardo Jardim disse...

Olá Magiaorion, seja bem vinda a nosso blog!
Creio que vc irá gostar de acessar o site de nosso viveiro, www.e-jardim.com, onde encontrará muita informação e fotos sobre as plantas que cultivamos.
Confira!

Eduardo Jardim disse...

Olá Anônimo!
De fato, a jabuticaba-caipirinha é uma forma muito interessante. Existem mais de 40-50 variedades e espécies de jabuticabas, pena que sejam tão pouco conhecidas.
No site de nosso viveiro, www.e-jardim.com, vc encontra fotos e informações sobre algumas delas.
Forte abraço!

Milouska disse...

Boa noite, Eduardo!

As jabuticabeiras são muito bonitas.
E a propósito: em Março perguntei-lhe se tinha sementes de Eugenia Mattosi e o Eduardo disse-me que o contactasse a partir de Agosto/Setembro, altura em que a Mattosii frutifica. Se tiver estas sementes, poderíamos também conversar sobre outras em que também estou interessada.
O meu antecipado agradecimento pela atenção que possa dar a este meu pedido.

Milouska

Eduardo Jardim disse...

Olá Milouska.
Já temos mudas de Eugenia mattosii prontas para envio. Contacte-nos em nosso site, www.e-jardim.com, ou através de nosso e-mail, contato (arroba) e-jardim.com.
Abraços